Trabalhadores discutem greve do Metrô e da CPTM nesta segunda

100
Foto: Reprodução

Os metroviários de São Paulo realizam nesta segunda-feira (23), a partir das 18h30, uma assembleia no Tatuapé, para definir se cruzam os braços na terça-feira (24). A categoria está em campanha salarial e na última assembleia, realizada na semana passada, os trabalhadores votaram por uma paralisação de 24 horas na terça. Como parte das atividades da campanha, os metroviários trabalham nesta segunda sem uniforme.

De acordo com o sindicato da categoria, foram realizadas quatro reuniões de negociação com o Metrô que, segundo eles, não apresentou proposta de reajuste salarial e irá “retirar direitos trabalhistas”.

As principais reivindicações dos metroviários são reajuste salarial de 10,82% mais 6,59% de aumento real e reintegração imediata dos demitidos. A categoria também realiza uma campanha contra a privatização da Linha 5-Lilás do metrô.

O Metrô informou que “lamenta a decisão do Sindicato dos Metroviários, que decretou, de forma prematura, estado de greve dentro do mês da data-base da categoria sem sequer ouvir as propostas da empresa. A empresa já manifestou a sua disposição para continuar as negociações, com a proposta de realizar mais uma reunião na próxima quarta-feira (25) para atender a uma solicitação feita pelo próprio Sindicato. Nesse encontro, seria apresentado o índice econômico, que reajusta salários, benefícios, auxílios, adicionais e gratificações, além da discussão de demais pendências do Acordo Coletivo de Trabalho. Continuamos buscando uma alternativa econômica que, ao mesmo tempo, atenda aos trabalhadores e seja suportada pela Companhia para não comprometer seu equilíbrio financeiro e espera que a entidade reveja sua posição”.

CPTM

Os trabalhadores da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) também decidirão em assembleia às 18h desta segunda-feira se cruzarão os braços amanhã. A reunião acontecerá nas sedes dos quatro sindicatos que representam os trabalhadores.

Os sindicatos são: Ferroviários (linhas 7-Rubi e 10-Turquesa), Zona Sorocabana (linhas 8-Diamante e 9-Esmeralda) e Central do Brasil (linhas11-Coral e 12-Safira). Além do Sindicato dos Engenheiros.

De acordo com o vice-presidente do Sindicato dos Ferroviários, Mauricio Alves de Matos, os trabalhadores querem reajuste salarial de 11,18% e 5% de aumento real. Na penúltima reunião realizada no Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região, a CPTM propôs aumento de 10,44% e equiparação de benefícios dos ferroviários com os dos metroviários (como vale-refeição e auxílio materno-infantil). Esta última questão foi sugerida pelo próprio tribunal.

* Com informações do portal R7

Deixe seu comentário