Motoristas e cobradores de ônibus de São Paulo fecham acordo com empresas

Motoristas, cobradores e demais funcionários do sistema de transportes da capital paulista realizaram uma assembleia que terminou agora há pouco, na tarde desta sexta-feira (20/5).

A categoria aceitou a nova proposta apresentada pelas empresas. Com isso, está afastada a possibilidade de greve de ônibus em São Paulo.

A categoria vai receber aumento total no salário de 7,5%, vale-refeição de R$ 20,50 e Participação nos Lucros e Resultados (PLR) de R$ 1.300,00, além da exclusão das multas do Resam da SPTrans.

Nesta semana, em campanha salarial, os motoristas e cobradores chegaram a parar os terminais de ônibus por duas horas na quarta-feira e por uma hora na quinta-feira.

A primeira proposta das empresas de ônibus foi de reajuste de 2,31% nos salários e vale-refeição.

Já a primeira reivindicação dos trabalhadores foi de reajuste real de 5% mais a reposição da inflação acumulada, vale-alimentação diário de R$ 25,00, (PLR) Participação nos Lucros e Resultados de R$ 2.000,00, plano de saúde gratuito estendido a mais dependentes e assistência funeral.

Os aumentos de salários e benefícios vão aumentar os custos com mão de obra em R$ 25 milhões por mês, tanto para empresas do subsistema estrutural como do local, excluindo a Participação nos Lucros e Resultados que é paga de uma vez só.

As empresas de ônibus aguardam uma sinalização da Prefeitura de São Paulo em relação aos reajustes da remuneração das planilhas, conforme é previsto em contratos com a prefeitura.

* Com informações do Blog Ponto de Ônibus

Deixe um comentário