Sem alternativas, passageiros dependem de caronas, micro-ônibus e intermunicipais em Guarulhos

230
Foto: Guarulhos Web

Apesar da possibilidade de greve dos motoristas e cobradores estar sendo ventilada desde sábado (02/04), quando as empresas informaram que iriam atrasar o pagamento dos salários, a Secretaria Municipal de Transportes e Trânsito da Prefeitura de Guarulhos não providenciou qualquer serviço de emergência ou se preparou para a paralisação. A única medida adotada nesta sexta-feira, quando as cinco empresas que operam o sistema pararam, foi colocar os micro-ônibus que atuam no sistema alimentador para estender as linhas entre os bairros e os terminais até a região central de Guarulhos.

Como o número é insuficiente, os veículos seguem superlotados e não dão conta da demanda. Muitos passageiros tiveram que utilizar as linhas intermunicipais da EMTU que seguiram operando, pagando passagens mais caras. Com isso, o sistema também não deu conta, atrasando as viagens e tendo ônibus com lotação esgotada em direção à região central. Muita gente teve que optar por caronas ou mesmo desistir do dia de trabalho.

Estima-se que 600 mil pessoas estão sendo prejudicadas com a paralisação das viações Campo dos Ouros, Guarulhos e Vila Galvão, que operam o sistema municipal. Nas linhas intermunicipais, a única que está operando, segundo a EMTU, é a Guarulhos Transportes. Outras empresas também estão com os veículos parados.

* Atualização: 10h23

Leia também:

Fim da greve de motoristas em Guarulhos determina volta de linhas da EMTU

Empresas pagam salários e greve de ônibus em Guarulhos é encerrada

Prefeitura de Guarulhos informa que fez repasse às empresas e não é responsável pela greve de ônibus

Greve de motoristas e cobradores de ônibus prejudica passageiros em Guarulhos

* Com informações do portal Guarulhos Web

Deixe seu comentário

comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here