Viaduto Santo Amaro é liberado para passagem de táxis nesta quinta-feira

O tráfego de táxis foi liberado no Viaduto Santo Amaro, na Zona Sul de São Paulo, na manhã desta quinta-feira (3), após incêndio abalar a estrutura. A liberação ocorreu às 5h.

O viaduto teve um trecho parcialmente liberado para ônibus no dia 25 de fevereiro. As faixas funcionam de forma alternada para os coletivos. Agora, táxis e ônibus vão dividir as pistas do sentido Centro-bairro.

Um acidente envolvendo dois caminhões no dia 13 de fevereiro na Avenida dos Bandeirantes danificou a estrutura. Ainda não há previsão de quando o viaduto será liberado para carros.

Já as duas pistas do bairro-centro do Viaduto Santo Amaro continuarão em monitoramento por técnicos da Prefeitura de São Paulo. No local, circulam mais de 25 linhas de ônibus.

A Prefeitura afirmou que é possível recuperar a estrutura. Dois laudos foram contratados em duas empresas especializadas em recuperação de estruturas. Um especialista da USP também atestou qual era a melhor maneira de se liberar o viaduto, segundo a Prefeitura.

Obras

Toda a parte do viaduto que foi danificada será refeita. A Prefeitura, no entanto, ainda não definiu como será a recuperação da parte estrutural do viaduto. “O laudo aponta que é possível a recuperação, mas qual será a solução técnica, nós ainda estamos aguardando para definir. Nós temos algumas opções que variam em custo e prazo, e nós estamos avaliando qual será o melhor custo benefício para a cidade”, disse o secretário municipal de infra-estrutura urbana, Roberto Garibe.

O lado no sentido Centro-Bairro continua interditado. Das seis faixas do viaduto, apenas duas serão liberadas, para circulação exclusiva de ônibus. O prefeito Fernando Haddad informou que a estrutura será monitorada por 15 dias, prazo para definir qual metodologia será usada para a recuperação total do viaduto.

Segundo Haddad, a retomada do uso do viaduto será gradual, com acompanhamento de especialistas. A liberação de parte do viaduto (no sentido Bairro-Centro) para a passagem de ônibus nos dois sentidos vai ajudar a aliviar o trânsito na região. “Nós estamos economizando algo em torno de R$ 40 milhões, que seriam gastos com a implosão”, disse o prefeito.

“Nós estamos estudando uma possibilidade de recuperação por cima do viaduto, outra inferior do viaduto ou uma outra que é estabelecer um novo apoio para o viaduto. Isso vai depender de como a estrutura se comportar nesses próximos dias”, completou o secretário de Infraestrutura.

As obras serão pagas inicialmente pela Prefeitura, e depois a administração entrará com uma ação pedindo o ressarcimento aos responsáveis pelo acidente. Os laudos usados para a decisão tomada pela Prefeitura serão divulgados, segundo o prefeito Fernando Haddad.

Fonte: G1 São Paulo

Deixe um comentário