Scomi terá unidade própria em Taubaté para produção dos trens de monotrilho

2633
Scomi
Foto: Reprodução/Site Strukton

A parceria entre a empresa Scomi da Malásia e o grupo brasileiro MPE (Montagens e Projetos Especiais) para o fornecimento de material rodante da Linha 17-Ouro de monotrilho, está em vias de ser rompida. A Scomi deve assumir todos os trabalhos.

A Scomi, não trata o assunto como rompimento, mas como “acordo para encerramento da parceria”, a decisão é resultado da estratégia comercial das companhias – a Scomi pretende expandir o negócio no Brasil. A MPE, responsável pelo projeto do monotrilho dentro do grupo MPE, está sendo investigada na Operação Lava Jato.

Uma fonte disse que houve um desentedimento na relação entre MPE e Scomi e que a fabricação dos vagões para os trens, para a Linha 17-Ouro, na fábrica de Santa Cruz, Zona Oeste do Rio de Janeiro, está paralisada há cerca de seis meses. O descumprimento de acordos que estavam previstos na parceria entre os dois grupos podem ter relação com o desentedimento.

A MPE teria desistido de continuar na sociedade com a Scomi, embora o grupo carioca ainda tenha interesse no negócio de trens urbanos e metrôs. No mercado, comenta-se que a MPE teria deixado de fazer pagamentos à Scomi.

A empresa malaia teria deixado, por sua vez, de fornecer alguns equipamentos para os vagões fabricados na fábrica da MPE em Santa Cruz, disse a fonte.

A Scomi afirmou ter “plena capacidade” para cumprir as obrigações contratuais e negou haver litígio entre as empresas.

A Secretaria dos Transportes Metropolitanos de São Paulo afirmou que não há atraso na entrega do material rodante do consórcio.

A fábrica para atender à encomenda da Linha 17-Ouro foi implantada em instalações pertencentes à MPE, em uma reforma concluída em 2012. Originalmente a Linha 17-Ouro precisaria de 24 trens de 3 carros.

Mas, devido a questões relacionadas ao licenciamento ambiental do projeto, o traçado e o cronograma originais do empreendimento sofreram alterações e, em função disso, a encomenda foi reduzida para uma frota de 14 trens de 5 carros.

A Scomi ainda diz que a produção dos trens de monotrilho consiste em várias etapas e fases já previstas no contrato, que são executadas em diversas partes do Brasil e do mundo. Os dois primeiros trens da linha 17 estão sendo fabricados na Malásia.

A fabricação das caixas de alumínio, por exemplo, que integra o escopo da MPE, foram executadas na fábrica MPE, no Rio de Janeiro. A fonte disse que chegaram a ser montadas algumas unidades de vagões, mas não precisou o número exato.

Agora, no âmbito do acordo para encerramento da parceria que está sendo formalizado entre as empresas, a Scomi assumirá a montagem final dos trens. A companhia malaia disse ainda que a continuidade do projeto se dará em uma nova fábrica própria de monotrilhos e outros sistemas de material rodante que está em fase de implantação em Taubaté.

A unidade irá atender, além da Linha 17-Ouro, projetos futuros – como os trens da Linha 18-Bronze.

Leia também

Deixe seu comentário

comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here