Velocidade segura é tema de seminário internacional em São Paulo

O secretário de Transportes, participou do evento e, na ocasião, comemorou o fato de que aproximadamente 250 vidas serão poupadas só neste ano por causa da redução dos limites de velocidade em avenidas paulistanas.

A importância da adoção de medidas de prevenção contra acidentes de trânsito a partir da redução da velocidade máxima em ruas e avenidas foi objeto de debate e tema central do seminário “Os impactos da implementação de velocidades seguras nas cidades”, realizado nesta terça-feira, dia 15, em um hotel na região central de São Paulo.

Organizado pela WRI Brasil – Cidades Sustentáveis, o evento contou com diferentes palestrantes e participantes, entre os quais o secretário municipal de Transportes, e o chefe de gabinete da SPTrans e coordenador do MobiLab da Secretaria Municipal de Transportes, Ciro Biderman. Também houve representantes do Detran e de outros órgãos municipais e de organismos internacionais.

Logo na abertura do seminário, o secretário de transportes contou em detalhes como foi elaborada a decisão de diminuir os limites de velocidade nas principais avenidas da cidade. “Em São Paulo, nós estávamos acompanhando a morte de mais de três pessoas por dia, de mais de mil pessoas por ano. E era como se não existisse responsáveis por isso. A partir desses dados tínhamos um problema profundo e cultural que nós tínhamos que trabalhar para mudar”, ponderou.

Segundo o secretário, a ideia da atual gestão do prefeito Fernando Haddad é de transformar São Paulo em uma cidade aberta, para as pessoas, com mais mobilidade, priorizando sempre o pedestre. Nesse contexto, estão também medidas como reduzir o limite máximo de velocidade, aumentar a fiscalização, criar frentes seguras para bicicleta e para motos, investir em sinalização, em calçadas para os pedestres e em ciclovias.

Tudo isso além de organizar o sistema de transporte coletivo por meio de faixas exclusivas. “Essa é a forma encontrada pela Prefeitura para diminuir mortes e aumentar a fluidez e a mobilidade na capital”, pontuou Tatto, antes de acrescentar: “Só neste ano a cidade de São Paulo vai ganhar 250 vidas. Duzentos e cinquenta pessoas vão continuar existindo na cidade em função das medidas que tomamos.”

O seminário sobre segurança viária foi realizado ao longo de todo o dia e reuniu também especialistas no tema representando a Austrália e a Inglaterra. O coordenador do MobLab da secretaria de Transportes, Ciro Biderman, falou sobre o papel da tecnologia na segurança e melhoria da fluidez dos sistemas de transporte e viário.

A redução de acidentes nas marginais

Em São Paulo a Prefeitura, por meio da Secretaria de Transportes, está desenvolvendo trabalhos educacionais de redução de velocidades. A implantação da medida foi iniciada nas Marginais Tietê e Pinheiros, locais onde diariamente eram registradas muitas ocorrências de acidentes com mortes. Após essa primeira etapa e ao longo deste ano, a diminuição dos limites máximos foi sendo inserida em outras vias com grande fluxo de veículos e com grande índices de acidentes.

Dados da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) indicam que entre 20 de julho, quando a medida passou a vigorar, e 13 de setembro, o número de acidentes com mortos e feridos nas marginais caiu 36% em relação ao mesmo período de 2014. O número de ocorrências no período passou de 220 para 140.

WRI atua em mais de 50 países

Desde 2014 a instituição internacional WRI atua no Brasil e seu maior objetivo é mostrar para população os altos números de vítimas que são perdidas todos os anos no mundo pela falta de segurança e, principalmente, pelo desrespeito no trânsito. Com os trabalhos desenvolvidos através de pesquisas de campo, palestras e dados obtidos pela ONU, hoje a atuação do WRI se estende por mais de 50 países. A entidade tem escritórios na China, nos Estados Unidos, Europa, Índia, Indonésia e sua trajetória já soma mais de 20 anos.

Deixe um comentário