Audiência pública em Sapopemba discutirá o atraso nas obras do monotrilho da Linha 15-Prata

262
Linha 15-Prata Testes estação Vila Prudente Oratório Concessão
Acesso norte da Estação Oratório da Linha 15-Prata (Foto: Eduardo Silva)

A Comissão de Política Urbana da Câmara Municipal aprovou nesta quarta-feira, dia 11 de novembro, a realização de audiência pública para tratar do atraso nas obras do monotrilho da Linha 15-Prata que também atenderá os bairros de Sapopemba e São Mateus. A audiência atende pedido da vereadora Juliana Cardoso (PT) e será realizada no dia 26 de novembro (quinta-feira), às 19h, no CEU Sapopemba.

Para o debate serão convidados o secretário estadual de transportes, Clodoaldo Pelissioni, o presidente do Metrô de São Paulo, Paulo Menezes de Figueiredo, o secretário municipal de transportes, Jilmar Tatto, o promotor de Defesa do Patrimônio Público e Social do Ministério Público Estadual, Marcelo Milani, Marcos Kiyoto da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo (FAU-USP) e Manoel Xavier Lemos da Central dos Trabalhadores do Brasil (CTB).

“O monotrilho da Estação Oratório até São Mateus foi prometido para ser entregue em 2011, depois para maio de 2013 e agora para fins de 2016”, declarou a vereadora Juliana Cardoso. “Um dos motivos alegados pelo governo do Estado para optar pelo monotrilho e não pelo metrô foi a rapidez nas obras e não é o que está ocorrendo. A audiência servirá para esclarecermos essa questão”.

Outro aspecto que chama a atenção é o custo elevado. A licitação de Vila Prudente até Cidade Tiradentes, com 24,5 quilômetros, tinha custo inicial de R$ 2,9 bilhões. Dados atuais, porém, mostram que já ultrapassam os R$ 6,4 bilhões. De acordo com especialistas em transporte, com esse valor daria para construir 12,8 quilômetros de metrô subterrâneo, que tem custo estimado por volta de R$ 500 milhões o quilômetro, conforme próprios dados do governo estadual.

Fonte: Jornal do Monotrilho

Deixe seu comentário