Motociclistas usam correntes e redes para tampar placas e ‘driblar’ radares

325
Corrente usada por motociclista para burlar fiscalização (Foto: Reprodução/TV Globo)

Há 20 dias, guardas usam radares do tipo pistola para flagrar motos.
Esconder a placa pode render multa de R$ 191,54 e sete pontos na CNH.

Para fugir da fiscalização por radares, motoqueiros estão escondendo placas com correntes e redes. Os flagrantes foram feitos por cinegrafistas amadores e enviados ao telejornal Bom Dia São Paulo da TV Globo.

Há vinte dias, agentes da Guarda Civil Metropolitana (GCM) estão com radares do tipo pistola para flagrar motos em alta velocidade. Os equipamentos estão sendo usados, principalmente, nas marginais dos rios Pinheiros e Tietê.

Os truques que estão sendo usados pelo motoqueiros, porém, não permitem que a placa seja vista nem mesmo de perto.

Dez radares do tipo pistola estão sendo usados na fiscalização. Um dos pontos onde os guardas costumam ficar é a Ponte do Morumbi, na Zona Sul, de onde eles fiscalizam veículos que passam pela Marginal Pinheiros nos dois sentidos.

Nas duas marginais são 80 radares fixos, segundo a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET). Porém, 26 deles não multam motos porque não fotografam placas traseiras.

A CET não informou o número de multas aplicadas nesses primeiros dias de operação e nem no mesmo período do ano passado;

De acordo com o Código de Trânsito Brasileiro, esconder a placa é infração gravíssima, com multa de R$ 191,54 e sete pontos na carteira. A moto pode ser apreendida.

Fonte: G1 São Paulo

Deixe seu comentário