Homens são agredidos após assediarem mulheres em trens de SP

176
Homem acusado de assediar mulher é agredido na estação Sé do Metrô. (Foto: Reprodução/TV Globo)

Dois casos de assédio aconteceram nos trens da CPTM e do Metrô nesta segunda-feira, 14, e terça, 15. Os dois molestadores foram agredidos por demais passageiros, indignados com a situação. Um dos acusados está preso e é agente da CPTM.

O caso da CPTM foi registrado na manhã desta terça, na Linha 11-Coral. Relatos de testemunhas foram publicados em tempo real, nas redes sociais. O homem de 54 anos acusado de assédio apanhou e foi atirado para fora do trem na Estação Tatuapé, na zona leste de São Paulo. As agressões continuaram e foi necessária a intervenção da equipe de segurança da companhia. O caso foi registrado na Delegacia de Defesa da Mulher, que funciona no mesmo prédio do 52º Distrito Policial, no Parque São Jorge, onde, até o início da noite desta terça, o acusado ainda estava detido.

Um passageiro fotografou o acusado cercado pelos seguranças e informou ao telejornal SPTV da TV Globo que o assédio começou na estação Itaquera. “A moça de 18 anos reclamou e o homem foi apanhando até o Tatuapé”, disse.

Segundo a CPTM, o funcionário foi identificado e demitido, por mau procedimento, de acordo com legislação trabalhista.

O funcionário Levi Lopes da Silva, é casado, tem filhos e netos e não tem passagem pela polícia, mas foi preso em flagrante por estupro e pode pegar de 6 a 10 anos de cadeia.

Passageiros disseram que tentaram acionar a segurança da CPTM por torpedo SMS, sem sucesso. A CPTM informou que não recebeu nenhuma mensagem de passageiro denunciando o caso de assédio na Linha 11-Coral.

CPTM estuda novos canais de denúncia de irregularidades para os passageiros

No início de abril deste ano, um segurança da CPTM também foi acusado de abusar sexualmente de uma passageira. Na ocasião, um ex-presidiário que viu a cena ajudou a deter o suspeito.

Na segunda-feira, uma situação semelhante aconteceu na Estação Sé do Metrô. Ali, o acusado de assédio foi chutado e levou rasteiras de outros passageiros, como revide por seu ato.

Procurado, o Metrô afirmou que não foi registrada ocorrência nesta segunda, mas que na manhã desta terça-feira uma passageira acionou agentes de segurança na Estação Liberdade relatando que um senhor estava fazendo gestos obscenos dentro de um trem. “Com a descrição feita pela usuária, o Centro de Controle da Segurança foi imediatamente acionado para tentar localizar o agressor. A usuária foi encaminhada pela equipe de seguranças até a Delpom, onde o boletim de ocorrência foi registrado.” Também no metrô, uma passageira da Linha 1-Azul denunciou nesta segunda à polícia ser mais uma vítima.  Ela contou que foi vítima de assédio na estação Praça da Árvore.

O Metrô destaca que abuso sexual é crime e deve ser combatido dentro e fora do transporte público. O SMS-Denúncia do Metrô é 97333-2252.

CPTM

Em nota enviada à imprensa, a CPTM ressaltou, assim como o Metrô, que “repudia o abuso sexual, crime que deve ser combatido dentro e fora do transporte público”. A empresa destacou que “faz campanhas de cidadania com veiculação nas redes sociais e com mensagens sonoras nos trens e estações”.

“As estratégias de segurança contam com rondas de agentes uniformizados e à paisana e com o uso de mais de 5 mil câmeras de vigilância em trens e estações de toda a rede”, prossegue o texto. “Em casos de ocorrência, a usuária importunada deve informar o fato imediatamente a um funcionário, apontando o autor e registrar queixa na Delegacia de Polícia. De acordo com a legislação vigente, essa é a única forma de obter êxito na ação, visto que , para a prisão do assediador, é exigido flagrante e testemunha. Os usuários podem colaborar com a segurança do sistema, denunciando eventuais irregularidades pelo serviço de SMS-Denúncia (97150-4949).”

* Com informações do jornal O Estado de São Paulo e do portal G1

Deixe seu comentário