Consórcio Plus recebeu R$ 492 milhões de forma irregular, diz TCM

339
Foto: Rodrigo Reis

Segundo conselheiro, empresas receberam por serviços não realizados. Julgamento ocorre na próxima semana

O vice-presidente do TCM – Tribunal de Contas do Município de São Paulo, Edson Simões, apontou em sessão desta quarta-feira, dia 20 de maio de 2015, que a SPTrans – São Paulo Transporte pagou de maneira indevida R$ 492 milhões ao Consórcio Plus, formado pela VIP Transportes Urbanos Ltda e Expandir Empreendimentos de Participações Ltda, empresas de ônibus que operam a área 3 do sistema da capital paulista, correspondente a região Nordeste.

Relatório técnico apresentado pelo conselheiro mostra que o Consórcio Plus teria recebido por uma série de serviços não realizados até o pagamento, como instalação de leitores de Bilhete Único nas catracas, e uma central de monitoramento dos ônibus não entregue a tempo.

O relatório se refere ao ano de 2006, época da gestão de Gilberto Kassab, e o valor de R$ 492 milhões já inclui a correção pelo IPCA – Índice de Preços ao Consumir Amplo.

O julgamento do contrato, que deveria ter ocorrido nesta quarta-feira, só deve ser feito na próxima semana porque outro conselheiro, João Antônio da Silva Filho, pediu vistas para analisar o relatório.

O Consórcio Plus não quis se manifestar.

Caso o pagamento seja considerado irregular, as empresas de ônibus terão de devolver o dinheiro aos cofres públicos e a SPTrans terá de se explicar.

Fonte: Blog Ponto de Ônibus

Deixe seu comentário