Passageiros reclamam das estações provisórias de Ferraz e Suzano

402

Em Ferraz, estrutura provisória opera desde 2011 e em Suzano desde 2013.
As novas estações devem ser entregues ainda neste ano, segundo a CPTM.

Passageiros que dependem dos trens em Suzano e Ferraz de Vasconcelos reclamam da estrutura dos espaços provisórios, utilizados até que a construção das novas estações da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) seja concluída. Os serviços estão sendo operados nas estações provisórias desde novembro de 2011, em Ferraz, e desde 27 de janeiro de 2013, em Suzano.

O vendedor Henrique Rodrigues, de 50 anos, reclama da dificuldade para subir os cerca de 60 degraus da escada provisória de Suzano. “Eu já vi várias vezes pessoas que têm problema de pressão solicitando aos guardas para passarem pela área reservada, mas eles pedem para que as pessoas comprovem com laudo médico”, diz Henrique.

Em Ferraz, o problema é o mesmo. O técnico em segurança do trabalho Rodrigo Pimentel critica a dificuldade no acesso disponível. “Pessoas com mobilidade reduzida muitas vezes não viajam, ou vão ao limite do esforço físico para embarcar. Até um tempo atrás, a CPTM mantinha uma van para levar essas pessoas até uma estação mais próxima, o que não é visto há muito tempo”, conta.

A CPTM informou que os clientes devem identificar a doença ou dificuldade ao agente controlador do acesso, com apresentação de um atestado ou receita médica recente e que “a medida é necessária devido ao grande número de usuários que circulam nessas estações.”

Além das dificuldades da estrutura provisória, o vendedor Henrique Rodrigues de Suzano espera que com o fim dos trabalhos tenha fim a necessidade de baldeação em Guaianazes. “Eu demoro 1h30 para chegar ao centro de São Paulo – isso quando os trens estão bons – poderia gastar uma hora se não precisasse fazer baldeação”, reclama o vendedor. Sobre esse caso, a CPTM informou que “somente após a conclusão das obras de implantação dos sistemas de sinalização, telecomunicações, via permanente e energia, o serviço do Expresso Leste terá a nova estação de Suzano como terminal.”

De acordo com a CPTM, a nova estação de Suzano está com a entrega prevista para este ano. O investimento total deve chegar a R$ 45 milhões. Em relação ao motivo do atraso, a CPTM sinaliza que se deve “aos entraves nos processos de desapropriação, além das obras de segregação do transporte de carga.”

Já em Ferraz de Vasconcelos, o atraso é de 25 meses. Segundo a CPTM, “as obras sofreram interferências em razão da necessidade de readequação de uma galeria do sistema de águas pluviais do lado sul e a implantação da passarela provisória de transposição da via que, por estar numa área de preservação permanente, exigiu a aprovação da CETESB [Companhia Ambiental do Estado de São Paulo]”. A previsão de entrega é, também, para este ano, ainda de acordo com a CPTM.

Fonte: G1

Deixe seu comentário