Após temporal, Metrô e CPTM registram tumulto e vandalismo na estação Palmeiras-Barra Funda

Usuários depredaram um trem e a estação Palmeiras-Barra Funda da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) após um temporal paralisar a Linha 7-Rubi (Jundiaí-Luz) na tarde desta quarta-feira (25).

Um raio interrompeu a circulação na linha, no trecho entre Luz e Pirituba, por volta das 17h45. A descarga elétrica atingiu o cabo de energia de alimentação dos trens entre as estações Lapa e Piqueri. Os trens voltaram a circular, mas com velocidade reduzida, às 21h06.

Cerca de 50 manifestantes, com rosto coberto, como os adeptos da tática black bloc, percorriam todo o terminal na noite desta quarta, depredando trens, lojas e catracas.

Quatro policiais tentavam conter os manifestantes, que destruíram máquinas de recarga de bilhetes, lâmpadas da estação e uma moto da Polícia Militar. Por volta das 20h, era possível ver lixo espalhado pelo chão e pessoas feridas. Um corre-corre foi provocado pela confusão, o que levou à suspensão do embarque ate às 20h20. A Polícia Militar e seguranças do metrô foram ao local.

Os manifestantes chegaram a colocar fogo em parte da estação, que foi apagado pelos funcionários. Trens tiveram bancos retirados e vidros quebrados. Passageiros que já estavam nos trens foram impedidos de seguir viagem.

Por volta das 21h50, a situação era mais tranquila, mas era possível ver muitos estragos na estação. Uma plataforma estava bloqueada porque várias luminárias e lixeiras tinham sido quebradas. Extintores e divisórias de metal foram jogados nos trilhos.

Por conta do temporal, também foram afetadas as Linhas 10-Turquesa e 8-Diamante, mas a circulação foi retomada ao fim da tarde em ambas. A Linha 10 ficou paralisada entre 15h e 18h30. A Linha 8 deixou de circular entre 17h30 e 18h35. As Linhas 1- Azul, 2-Verde, 3-Vermelha e 5-Lilás do Metrô funcionaram com velocidade reduzida.

Confira abaixo a galeria de imagens exclusivas registradas pela nossa equipe MobSampa na estação Palmeiras Barra Funda.

CHUVA

A chuva também prejudicou o trânsito, que chegou a 294 km por volta das 19h – pico do dia. Isso corresponde ao maior congestionamento registrado pela CET (Companhia de Engenharia de Tráfego) desde o início do ano.

A chuva que atingiu a região metropolitana de São Paulo na tarde desta quarta-feira provocou a morte de um motorista na região central da capital paulista, causou alagamentos e deixou ao menos quatro subprefeituras em estado de alerta.

O caso mais grave foi a morte de uma pessoa que teve o carro atingido por fios elétricos quando passava pela rua Tupi, na região de Santa Cecília, centro de São Paulo. Segundo os bombeiros, o tronco de uma árvore caiu e atingiu a fiação, que caiu sobre o veículo.

Na Vila Prudente, o córrego da Mooca transbordou na altura da avenida Professor Luiz Ignácio de Anhaia Mello, em ambos os sentidos, com a rua Amparo. Além da Vila Prudente entraram em alerta por transbordamento o Ipiranga, Mooca e Sé por conta do extravasamento do rio Tamanduateí, na altura do viaduto Pacheco Chaves e na altura do Mercado Municipal.

Deixe um comentário