Linha 6 Laranja do Metrô torna-se alternativa para desafogar lotação nas estações

324

Com uma grande quantidade de pessoas que dão preferência ao transporte sobre trilhos, um dos principais desafios da atual administração estadual é oferecer um serviço rápido e eficiente ao cidadão.

Para isso, a Secretaria dos Transportes afirmou na última data (7/1), que apesar do atraso das obras para a construção da Linha 6-Laranja, que ligará a Vila Brasilândia, na zona norte, à região central, elas serão iniciadas já no primeiro semestre deste ano.

O trajeto beneficiará a população da zona noroeste da capital paulistana, já que a nova linha ligará o bairro da Brasilândia à região central da cidade. Assim como a construção da Linha 4-Amarela, esta nova será feita por intermédio de uma PPP (Parceria Público Privada), que contará com investimentos do governo estadual e da iniciativa privada. Cerca de 10% das desapropriações necessárias à construção já foram feitas, segundo ele. Essas expropriações chegaram a ser barradas na Justiça, porque alguns juízes entenderam que elas não poderiam ser pagas com dinheiro público.

De acordo com informações do próprio Metrô e da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos), atualmente toda rede ferroviária transporta mais de 7,2 milhões de usuários em média diariamente.

Mesmo com essa quantidade de pessoas e o aumento exponencial da população, a inauguração de novas estações é pífia comparada a esse crescimento. Somente em 2015 há a previsão de apenas duas novas estações, que são a Oscar Freire e Higienópolis-Mackenzie, ambas da Linha 4-Amarela.

Em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo, o secretário Clodoaldo Pelissioni afirmou que é necessário ampliar a rede de trens e metrô, além de garantir a qualidade existente, que segundo ele é muito boa.

Atualmente a rede oferece 75,5 km de metrô e mais de 260 km de trens da CPTM.

Deixe seu comentário

comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here