EMTU, Unicamp e Scipopulis realizam hackathon sobre mobilidade urbana em Campinas

O HACKEMTU reunirá as mais significativas instituições públicas e privadas do setor de mobilidade urbana do Brasil

0
46
hackaton da emtu

O Parque Tecnológico da Universidade de Campinas, em Campinas, será palco entre os dias 7 e 8 de abril de mais um hackathon de tecnologia organizada pela EMTU. Dessa vez em parceria com a própria universidade e com a startup Scipopulis. O HACKEMTU trará novos desafios de mobilidade urbana com foco em inovação para o transporte público sustentável para que estudantes e profissionais das áreas de comunicação, tecnologia, urbanismo e design possam construir soluções e apontar tendências.

O evento promete ser um hub de conhecimento entre o meio acadêmico, o de pesquisa, o ecossistema de inovação e o setor de transporte público e de mobilidade.

“O objetivo é abordar não apenas as questões tecnológicas, mas também humanas das cidades modernas, independente de seu tamanho geográfico ou populacional. Somos pioneiros na abertura de dados metropolitanos na América Latina e organizar eventos como o HACKEMTU fomenta cada vez mais inovação em nosso setor”, explica Joaquim Lopes, diretor-presidente da EMTU.

O HACKEMTU é uma iniciativa do laboratório de inovação da EMTU, o ELAB – Experimentos em Transportes, e do Youth for Public Transport Foundation, da Divisão América Latina da União Internacional dos Transportes Públicos. A Fundação premiará um integrante do grupo vencedor com uma viagem para participar da Hackatona Mundial, em Dubai, que acontecerá entre os dias 20 e 25 de abril, com todas as despesas pagas.

O presidente da Divisão América Latina da União Internacional dos Transportes Públicos, Jurandir Fernandes, é favorável a eventos como o HACKEMTU por acreditar que o setor de transportes precisa rever suas estratégias e cultura de negócios. “Vivemos em uma nova era. Devemos desenvolver ferramentas que preparem o setor para a era digital, para criar um valor adicional na experiência do viajante, dos empregados e de todo o ecossistema. Para alcançar isto, o público e o privado precisarão atuar como um só, não concorrentes, todos alinhados em torno de um propósito comum sobre o futuro de uma mobilidade sustentável compartilhada.”

Técnicos e especialistas da EMTU, professores da Universidade de Campinas, designers e cientistas de dados da Scipopulis, além de profissionais voluntários de diversas áreas participarão como mentores das equipes. Essa interação proporcionará uma troca de experiências entre pessoas que conhecem o dia a dia do transporte público, de tecnologia e de inovação, com jovens inventores de fora do segmento.

Também haverá palestras programadas de empresas convidadas que, de alguma maneira, possam colaborar com as soluções em desenvolvimento. “O intenso trabalho dos alunos de computação juntamente com outras áreas durante o Hackaton fomenta o surgimento de ideias extremamente interessantes e com potencial de impacto em Mobilidade Urbana. Estamos muito animados com esta parceria e trabalhando para que o evento seja um grande sucesso”, disse Rodolfo Azevedo, diretor do Instituto de Computação da Universidade de Campinas.

Os desafios que irão nortear os trabalhos dos participantes são: Mobility as a Service; comunicação com o usuário; monitoramento de ônibus; planejamento dinâmico do transporte; e sustentabilidade. Todos os códigos desenvolvidos durante o evento ficarão disponíveis à sociedade.

Segundo Ivo Pons, um dos sócios fundadores da Scipopulis, “o maior resultado do evento é o fortalecimento da comunidade de inovação em mobilidade, o que trará resultados tangíveis para toda a sociedade. Eventos como a HACKEMTU precisam ser estimulados, devem fazer parte de uma política de desenvolvimento do setor e são responsabilidade de todo ‘ecossistema’ de transporte público”.

Inscrições e Regulamento

As inscrições estarão abertas entre 19 e 30 de março no www.hackemtu.com. Qualquer interessado acima de 18 anos poderá participar. Haverá obrigatoriedade de desenvolvimento de códigos exclusivos, mas os grupos poderão ter integrantes de outras áreas que não as de Tecnologia. As inscrições serão individuais. Grupos serão formados no início do evento dentre os presentes. As equipes serão formadas por três a cinco integrantes.

A primeira edição

A 1ª Hackatona Metropolitana EMTU-Metra, primeira no Brasil dedicada ao Transporte Público Metropolitano, foi realizada em março de 2017 na unidade da EMTU de São Bernardo do Campo e teve como tema “O Transporte Público Sustentável e Acessível Como Centro das Soluções de Mobilidade Multimodal”. Foram 10 equipes participantes e a dupla vencedora participou da Hackatona Internacional realizada durante o Congresso Mundial da União Internacional dos Transportes Públicos no Canadá.

Além do sucesso durante o evento, a Hackatona provocou mudanças na cultura organizacional da EMTU. Em 12 meses realizou duas hackatonas, abriu o laboratório de inovação metropolitana, criou o Programa de Mentoria e entrou para o seleto grupo mundial de empresas em transporte público que pratica Open Data.

Atualmente a empresa disponibilizou no site alguns de seus principais dados do transporte urbano metropolitano, permitindo a possibilidade de cruzamento de informações e o acesso fácil a desenvolvedores, pesquisadores, estudantes e cidadãos em geral. Veja aqui o conjunto de dados disponíveis.

A recém-criada Assessoria de Parcerias e Inovação da EMTU planeja implementar Política Corporativa de Inovação.

Deixe seu comentário

comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO