Informações do transporte metropolitano do Estado de São Paulo já podem ser acessadas

EMTU é pioneira na divulgação de “dados abertos” do transporte metropolitano sob pneus na América Latina

0
37
Dados abertos
Foto: Divulgação/EMTU

A EMTU, empresa do Governo do Estado de São Paulo, vinculada a Secretaria dos Transportes Metropolitano, acaba de abrir à sociedade alguns de seus principais dados, dentro do conceito internacional “open data”.

As primeiras informações já estão disponíveis no site da EMTU, e podem ser acessadas por máquinas, distribuídas, reutilizadas e compartilhadas por qualquer pessoa da sociedade. O sistema oferece possibilidade de cruzamento de dados e permite acesso fácil a desenvolvedores, pesquisadores, estudantes e cidadãos em geral.

As informações disponíveis são das Regiões Metropolitanas do Estado de São Paulo e incluem: relação de linhas e itinerários e tarifas praticadas; relação de veículos, empresas, placas e prefixos, dados da frota e de atendimento do Serviço Ligado, ocorrências operacionais e do Sistema de Bilhetagem Eletrônica das Regiões Metropolitanas de São Paulo e Baixada Santista, assim como informações da Central de Atendimento ao Cliente. Serão utilizados dados em formatos CSV, Excel, PDF, GTFS, além de APIs. Os dados das demais regiões metropolitanas estão em processo de implantação.

dados abertos
Foto: Reprodução/EMTU

A EMTU acompanha a tendência mundial de transparência da informação e é pioneira na América Latina na divulgação de dados do transporte urbano metropolitano. Segundo Joaquim Lopes, presidente da EMTU, “este é apenas o início do processo e estamos nos preparando para ampliar as informações no conceito aberto, como prevê a Lei Federal 12.527/2011 de Acesso á Informação”.

O artigo 3º prevê: observância da publicidade como preceito geral e do sigilo como exceção; divulgação de informações de interesse público, independente das solicitações; utilização de meios de comunicação viabilizados pela tecnologia da informação; fomento ao desenvolvimento da cultura de transparência na administração pública; desenvolvimento do controle social da administração pública.

De acordo com Renata Veríssimo, coordenadora do Núcleo de Parcerias + Inovação, esta ação, que advém de uma empresa pública, poderá desencadear favoravelmente outras ações para benefício dos clientes. “A abertura de dados é um fato; é uma demanda da sociedade e sendo bem utilizados, contribuirão para a integração de informações e quem sabe, em pouco tempo, tenhamos o aumento do número de cidades inteligentes”.

Os dados abertos estão “anonimizados”, ou seja, sem a possibilidade de identificação de clientes ou funcionários da EMTU, dos operadores e todos àqueles que por ventura sejam atores nas ocorrências operacionais e no monitoramento em tempo real. Segundo Veríssimo, os dados com acesso via API tem atualização automática e dados de GTFS são alterados conforme a necessidade. Os demais dados são mensais.

O presidente Joaquim Lopes conclui dizendo que “a empresa caminha para a integração de seus sistemas de gestão, de forma a consolidar sua eficiência de relacionamento com a sociedade civil”.

Desenvolvedores

Três áreas são destinadas a desenvolvedores: as informações de geolocalização dos ônibus metropolitanos em formato GTFS (General Transit Feed Specification) e o acesso via API (Application Programming Interface ou Interface de Programação de Aplicativos) do monitoramento em tempo real dos 6 mil ônibus e das ocorrências operacionais. Neste caso será solicitado cadastro prévio e o aceite às condições de acesso que preveem que os dados não poderão ser vendidos, sublicenciados ou alugados.

Os dados metropolitanos disponibilizados são públicos e gratuitos. A EMTU solicita aos utilizadores, entretanto, o compartilhamento de dados analisados, apresentação dos produtos de tecnologia que por ventura sejam desenvolvidos, discussão sobre pesquisas e estudos a serem elaborados.

Clique aqui e veja as páginas.

Deixe seu comentário

comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO