Parceria Público-Privada do VLT da Baixada Santista vence prêmio internacional de transporte público

Empreendimento do Governo do Estado gerenciado pela EMTU ganhou prêmio da UITP na categoria Modelos de Negócio e de Financiamento Inovadores.

0
105
Modelo de Negócio
Foto: Divulgação/EMTU

A Parceria Público-Privada voltada à prestação de serviços de transporte intermunicipal, incluindo a operação do VLT (Veículo Leve Sobre Trilhos), dos ônibus, o fornecimento de sistemas e de veículos nos nove municípios da Baixada Santista venceu o
UITP (União Internacional de Transporte Público) Awards 2017, na categoria Modelo de Negócio e de Financiamento Inovadores.

A entrega do prêmio aconteceu na última quarta-feira (17) durante o encerramento do Congresso Mundial da União Internacional de Transporte Público em Montreal, Canadá. O ganhador da União Internacional de Transporte Público Awards 2017 recebeu um troféu e pode incluir o selo de vencedor em todos os seus documentos corporativos.

A premiação ocorreu em um evento em que as parcerias público-privadas ganharam bastante destaque como modelo financeiro de grande potencial para impulsionar investimentos em infraestrutura de transporte público ao redor do mundo.

Na apresentação enviada à União Internacional de Transporte Público pela Addax Assessoria Econômica e Financeira, em conjunto com a EMTU, foi destacado que “um dos aspectos inovadores da modelagem financeira é a possibilidade de um único parceiro privado operar os dois modais (VLT e ônibus) ao longo de uma região onde, até então, apenas um dos sistemas operava”. Outro aspecto positivo é o modelo de negócio, financiamento e compartilhamento de riscos desenvolvido a partir da legislação federal de Parceria Público-Privada aprovada em 2004 (Lei 11.079).

Modelo de negócio

O prazo de vigência da Parceria Público-Privada, na modalidade Concessão Patrocinada, é de 20 anos. O investimento privado é de R$ 666 milhões e inclui implantação de equipamentos e sistemas, bilhetagem eletrônica, aquisição integral da frota de ônibus e material rodante adicional do VLT (11 veículos previstos) para operar no trecho – em projeto – Barreiros – Samaritá, em São Vicente. Em 20 anos o valor do contrato soma R$ 5,6 bilhões, beneficiando direta e indiretamente 1,8 milhões de habitantes da Região Metropolitana da Baixada Santista.

O Veículo Leve Sobre Trilhos que liga Santos a São Vicente no âmbito do Sistema Integrado Metropolitano transportou cerca de 2 milhões de passageiros desde junho de 2016, quando o Consórcio BR Mobilidade assumiu a operação sob gerenciamento da EMTU.

Deixe seu comentário

comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO