Startup Up Mototáxi participa da Campus Party Brasil, na capital paulista

0
35

Os usuários do serviço de mototáxi, têm a disposição uma ferramenta inovadora para solicitar o serviço nas cidades de Imperatriz e Açailândia, distante a cerca de 70 km de São Luís, capital do Maranhão.

Durante a Campus Party Brasil 2017, que foi realizada no Pavilhão de Exposições do Anhembi, na capital paulista, entre os dias 31 de janeiro de 4 de fevereiro, dentro do espaço Startups & Makers voltado para as startups, conversamos com os jovens empreendedores Rubem Ventura Alves (CTO) e Thiago Silva Rodrigues (CEO), desenvolvedores do aplicativo de mobilidade urbana Up Mototáxi, que nos contou as funcionalidades do aplicativo. Com um estande próprio, os empreendedores apresentaram sua proposta de serviço aos visitantes, investidores e outros produtores de startups.

Rubem Ventura e Thiago Silva, desenvolvedores do aplicativo (Foto: Eduardo Paulino)

Desenvolver uma aplicação que conecte de maneira rápida, prática e segura os usuários aos mototaxistas e proporcionar um novo conceito de mobilidade urbana foi o que levou os jovens empreendedores a desenvolverem o aplicativo. Thiago, conta que uma das motivações para criar o aplicativo foi que um certo dia ficou esperando o ônibus para ir a faculdade e ficou sabendo que o mesmo não iria passar, ou seja, através de uma necessidade particular surgiu a ideia de criar a ferramenta. Além de Thiago e Rubem, a equipe conta com Ronyelton Oliveira Silva, diretor de arte. O aplicativo foi desenvolvido a partir de janeiro de 2016 e foi lançado oficialmente em setembro do mesmo ano.

O intuito do aplicativo é facilitar a mobilidade na busca por transporte, principalmente nos locais de difícil acesso, onde geralmente os pontos de ônibus ficam distantes, subtraindo os perigos que o usuário possa ter ao sair de casa, de uma maneira moderna em termos de segurança, incluindo rapidez no atendimento e preços acessíveis das corridas. Rubem, conta que o aplicativo já teve mais de 2.500 downloads, tem cerca de 790 usuários cadastrados, 280 motoxistas cadastrados e 90% deles estão localizados em Imperatriz.

Aplicativo

O localizador de serviços Up Mototáxi foi desenvolvido para os usuários em geral. Os serviços tiveram início em Imperatriz e posteriormente se expandiram para Açailândia. O credenciamento dos mototaxistas na plataforma do aplicativo não tem custo e os mototaxistas devem estar regularizados.

Os clientes, usuários em geral e mototaxistas, precisam ter conexão a internet, através de smartphone, com o GPS ativado, onde irão localizar qual mototaxista livre está mais próximo e os respectivos mototaxistas saberão onde os clientes estão exatamente, acarretando assim a melhoria do trabalho, consumindo menos combustível e a rotina de sair à procura de novos clientes.

O aplicativo está disponível para Android, os usuários podem baixá-lo aqui e os mototaxistas podem baixá-lo aqui.

Rubem, explica que o serviço não tem taxímetro, o cálculo da tarifa é baseado pela localização do Google Maps, os mototaxistas recebem treinamento sobre como abordarem os clientes e o ganho médio mensal gira em torno de R$ 3.000,00, inclusive eles têm um curso de educação financeira.

Os mototaxistas são padronizados usando capacetes higienizados, viseira em bom estado funcional, jugular 100% funcional, piloto com colete de identificação, moto ‘amarelinha’ e placa vermelha, oferecendo aos usuários maior segurança, minimizando ou erradicando pilotos clandestinos.

Contatos

Site: http://upmototaxi.strikingly.com
Fale Conosco: contato@upmototaxi.com
Twitter: https://twitter.com/UpMotoTaxi
Facebook: http://www.facebook.com/upmototaxi
Instagram: https://www.instagram.com/upmototaxi

Startup

O aplicativo ficou em segundo lugar na 1ª corrida de startups do Maranhão, em 2015, promovido pelo Sebrae, de um total de 109 projetos de startups submetidos.

O Up Mototáxi foi uma das 160 startups selecionadas pela Campus Party Brasil para participar da 4ª edição do programa Startup & Makers, que contempla também várias atividades voltadas ao empreendedorismo, sendo 80 startups em Growth Stage, ou seja, projetos em estágio mais avançado, com equipe já formada, produto lançado no mercado, que tenha ou não já recebido algum tipo de investimento, mas que já possua faturamento. E outras 80 startups, em Early Stage, projetos pouco avançados, com primeiros protótipos criados e testados, porém sem terem recebido qualquer investimento.

Deixe seu comentário

comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO