Operação coordenada entre Governo do Estado e Prefeitura de São Bernardo do Campo lacra dois postos de combustíveis

Governador Geraldo Alckmin e Prefeito Orlando Morando estavam à frente da fiscalização, na manhã desta quinta-feira

0
6
Foto: Ricardo Cassin

A Prefeitura de São Bernardo do Campolacrou, na manhã desta quinta-feira (30/03), dois postos de combustíveis que estavam operando de maneira irregular. Com a presença do Governador do Estado, Geraldo Alckmin e do prefeito Orlando Morando, a ação faz parte de uma operação coordenada, envolvendo também a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis, o Instituto de Pesos e Medidas, o Procon, a Secretaria Estadual da Fazenda, e os órgãos de fiscalização municipal, visando à identificação de fraudes contra o consumidor e o Estado, praticadas por postos de combustíveis.

“Estamos fazendo esta ação em todo o Estado de São Paulo, cerca de 10% dos postos fiscalizados apresentam irregularidades. Queremos zerar este índice, garantir uma concorrência leal e proteger o consumidor”, declarou o governador Geraldo Alckmin.

Em São Bernardo do Campo, foram identificados dois postos sem alvará de funcionamento e realizando práticas criminosas. Um deles, localizado na Avenida Caminho do Mar, no bairro Rudge Ramos, apresentou uma serie de irregularidades, dentre elas, na porcentagem de álcool dentro da gasolina e a presença de metanol, substância proibida, por ser cancerígena. A amostra comprovou uma quantia de álcool na gasolina 3 vezes maior do que o permitido. O outro posto, na Estrada do Montanhão, no Jardim Silvina, utilizava um chip eletrônico na bomba de combustível, que “roubada” cerca de 10% do volume abastecido, a prática é chamada de bomba baixa.

“Desde o início da gestão identificamos oito postos de combustíveis sem alvará e foram notificados. Estes dois postos que estão sendo interditados hoje, já estavam irregulares por falta de alvará e foram flagrados na operação roubando combustível e lesando o consumidor”, complementou o prefeito Orlando Morando.

A operação conjugada, realizada pelo Governo do Estado, teve início no segundo semestre do ano passado e não tem data para terminar. “O trabalho realizado em conjunto com as prefeituras é fundamental para coibir estas ações. No ato do flagrante é possível caçar o alvará de funcionamento e punir aqueles que estiverem infringindo a lei, identificar fraudes na qualidade e na quantidade de combustível comercializado, sonegação fiscal e outras irregularidades”, adicionou Geraldo Alckmin.

Deixe seu comentário

comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO