Empresa decide investir mais na formação de jovens carentes

gA vai duplicar Formando Futuro em 2017

0
70
Foto: Reprodução/Grupo ASSA

Uma boa notícia para os jovens carentes em busca do primeiro emprego. Uma das maiores consultorias internacionais na área de tecnologia, o gA, decidiu duplicar o número de alunos em situação de risco que receberão cursos de qualificação profissional em seu programa “Formando Futuro”. Em 2016, em parceria com a Liga Solidária e o Espro – Ensino Social Profissionalizante, o gA beneficiou 130 adolescentes em grau de vulnerabilidade social. Para 2017, a meta é atingir cerca de 300, entre 15 e 20 anos, mediante capacitação profissional para inclusão no mercado de trabalho.

O formando futuro se propõe a oferecer conhecimentos, ferramentas, aptidões e confiança para que possam disputar novas vagas ou continuar seus estudos no ensino superior. O projeto é marcado pela vivência pedagógica na rotina da companhia junto com palestras de especialistas voluntários. Os jovens fazem visitas quinzenais ao escritório do gA, em São Paulo, e ao longo de oito horas acompanham a rotina da organização.

“Neste curso eles aprendem a trabalhar ferramentas produtivas, como o Pacote Office, e como se portarem em um ambiente de trabalho. O programa mobiliza voluntários para promover atividades que gerem habilidades, como trabalho em grupo, desenvoltura, argumentação, criatividade e, principalmente, a comunicação (a maioria trava nessa hora), imitando um processo seletivo de empresa”, descreve Paulo Ferreira, um dos coordenadores dos projetos de sustentabilidade do gA (Grupo ASSA) no Brasil. Outro exercício é a simulação de venda de um produto qualquer para os executivos da empresa, resolução de problemas, debates em grupos, apresentações pessoais que o aluno tem que levantar e falar coisas relevantes sobre si mesmo, como em uma entrevista de emprego real.

“Mostramos que, por meio do estudo e motivação, eles podem chegar a qualquer lugar no mundo. Trazemos os jovens ao escritório, mostramos as áreas e explicamos o que fazemos em cada uma para que tenham as profissões em mente na hora de escolher algo. Também nessas visitas chamamos colaboradores para contar seu histórico profissional, quais passos e decisões foram tomadas para chegar onde estão hoje e, assim, dar maior clareza ao pessoal de baixa renda. Muitos acham que, por serem de escola pública, não conseguirão um trabalho decente e uma carreira importante”, ressalta Paulo Ferreira. Os especialistas do Grupo ASSA ainda ministram palestras na sede da Liga Solidária sobre o panorama do mercado de TI, gestão de projetos e terceirização de processos de negócios.

Deixe seu comentário

comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO